quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Termos utilizados sobre perseguição religiosa

As definições abaixo nos ajudam a entender um pouco das grandes dificuldades que cristãos do mundo perseguido passam.

CRISTÃO SECRETO
Esse termo designa aqueles que reconheceram o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas que não tornam sua fé pública por causa da pressão que os cristãos sofrem na sociedade. Em muitos casos, os cristãos secretos não revelam sua fé nem mesmo à família, pois correm o risco de serem expulsos de casa ou mortos por outros parentes.

IGREJA DOMÉSTICA
A igreja doméstica pode funcionar como alternativa aos cultos regulares nos templos, como acontece em Bangladesh, ou como a única forma de culto, quando o governo proíbe a construção de templos. Assim, as famílias cristãs fazem cultos em suas próprias casas. Às vezes, contando com a presença de um cristão de fora do círculo familiar, ou de algum conhecido que tenha mostrado interesse genuíno em Cristo. As igrejas domésticas são comuns em países islâmicos onde a apostasia (abandono do islamismo) é proibida. Assim, cristãos secretos se reúnem em suas casas a fim de não chamarem a atenção de vizinhos, autoridades e da população opositora.

IGREJA CLANDESTINA
A igreja clandestina opera de forma similar à igreja doméstica, com exceção de que não se reúne em uma casa. Ela pode operar em cavernas, subsolos; ou pode funcionar de forma bem discreta em um café, no campus de uma universidade ou em uma praça. A igreja clandestina não está limitada a um prédio – ela está onde o grupo de cristãos se reúne. Esses grupos são formados geralmente por cristãos que têm uma atividade em comum (trabalham ou estudam juntos).

IGREJA REGISTRADA E NÃO REGISTRADA
Há países cujas leis exigem que todos os prédios religiosos tenham cadastro na prefeitura antes de abrirem as portas para realizar atividades. É necessária uma série de documentos – alguns governos, como na Indonésia, exigem até a aprovação por escrito dos vizinhos da igreja, concordando com a abertura do templo. As igrejas que não conseguem cumprir os requisitos impostos pela prefeitura, ou cujos pedidos são negados arbitrariamente, são consideradas igrejas não registradas, e o seu funcionamento é ilegal. Por isso, as forças de segurança da cidade têm direito, perante a lei, de lacrar o prédio e impedir a realização dos cultos.
Há igrejas, no entanto, que optam por não entregar a documentação necessária, preferindo operar ilegalmente. Elas fazem isso quando não concordam com as exigências apresentadas para o registro.

IGREJA OFICIAL
Igreja oficial é a denominação que possui autorização do governo para funcionar, tornando todas as outras ilegais. Esse é o caso da Eritreia, que possui quatro grupos religiosos oficiais (igreja católica, ortodoxa, luterana e o islamismo); na China (que possui o Movimento das 3 Autonomias), da Etiópia (igreja ortodoxa), entre outros. No entanto, o fato de uma congregação ser parte da denominação oficial não a isenta de ser perseguida.


Fonte: Revista da Missão Portas Abertas, vol. 28, número 12.
.

,

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010


Print or Generate PDF

0 comentários:

Postar um comentário

Comentário









Certidão Criminal Negativa
Dicionário Bab.La