sexta-feira, 18 de abril de 2014

Os dez alimentos da infância


Por volta de 2 anos, seu pequeno já deve compartilhar das refeições com a família. É hora de rever o cardápio, para garantir a presença de ingredientes indispensáveis ao desenvolvimento. As crianças vão imitar (e muito) o comportamento alimentar, não só dos pais, mas da casa. Toda a rotina da casa influencia a alimentação das crianças.

Separei estes 10 alimentos que não podem faltar na rotina alimentar dos pequenos. Há exceções para crianças com algum comprometimento de saúde, e neste caso, o acompanhamento de um especialista é mais do que necessário.


1) Leite

A criança deve receber no mínimo três porções de leite ou derivados todos os dias. A partir desta fase, o leite já pode ser servido em um copinho. Fonte de proteínas e de cálcio, ele é indispensável ao crescimento ósseo e à manutenção de dentes e ossos.

Após o desmame, o bebê deve receber fórmulas lácteas específicas, conforme indicação do pediatra. Gradativamente, pode passar ao leite comum integral. As gorduras são importantes nesta fase, para o desenvolvimento do sistema nervoso. Além disso, algumas vitaminas precisam de gordura para serem assimiladas pelo organismo.


2) Carnes

Pode ser de vaca, frango ou peixe! Deve estar presente no almoço e no jantar, o ideal é servi-la desfiada ou cortada em pequenos pedaços. Os alimentos sólidos ajudam a desenvolver a mastigação, a deglutição e a musculatura da face e a arcada dentária. Este grupo de alimento é imbatível na prevenção da anemia, cujo risco aumenta nesta fase de desenvolvimento acelerado. As carnes fornecem aminoácidos essenciais ao crescimento, zinco e ferro. 90% do ferro contido na carne são absorvidos pelo organismo.


3) Cereais

Eles devem estar presentes em todas as refeições. Sim, em todas. No café da manhã e nos lanchinhos, opte por mingau de aveia com leite, biscoito ou pão. Para almoço e jantar, ofereça arroz ou macarrão. Nessas refeições, os cereais também podem ser substituídos por raízes, como mandioca, batata, batata-doce e cará, picadinhos ou ligeiramente amassados. Arroz, macarrão e pães integrais contêm mais vitaminas e fibras.


4) Feijão

O ideal é uma concha média de feijão, cozido até ficar bem macio, uma a duas vezes por dia. O feijão é fonte de proteínas, calorias e, combinado com o arroz, fornece também aminoácidos formadores de proteínas que servem de matéria-prima para músculos, ossos, pele e cabelos.

Alterne feijão rosado, preto e branco. Deixe-os de molho antes de cozinhar com gotinhas de limão. Usamos esta técnica para anular algumas características indesejáveis do feijão, como por exemplo, a formação de gases. Vale lembrar que esta água deve ser descartada antes do cozimento.


5) Frutas

Sirva até quatro porções ao dia. Pode ser raspada, picadinha, em salada de frutas e até com um sorvete caseiro. No início, ofereça as frutas descascadas mas, aos poucos, comece a deixá-las com casca, para que todas as vitaminas sejam aproveitadas.

As frutas de época são o ideal. Prefira as que apresentam cascas lisas e brilhantes e que ainda estejam firmes, não muito maduras.


6) Sucos cítricos

Dois copos de suco diários, como sobremesa no almoço e no jantar, está na medida. Escolha frutas ricas em vitamina C e prepare o suco imediatamente antes de servir, pois a vitamina C oxida em contato com a luz e o calor do ambiente. A vitamina C auxilia na absorção do ferro presente nas carnes e no feijão, diminuindo o risco de anemia. Ainda assim a vitamina C permanece no suco em níveis bem aproveitáveis por até 6 horas.

As frutas campeãs em vitamina C são laranja, limão, acerola, maracujá, caju e goiaba.


7) Vegetais amarelo-alaranjados

Devem estar presentes no almoço e no jantar, em forma de purê, refogados ou como recheio, de torta, por exemplo. Legumes com essa coloração são ricos em vitamina A, que aumenta a resistência a infecções e é indispensável à proteção da vista, ao desenvolvimento celular e à saúde da pele.

Melhor escolha: abóbora, cenoura e pimentão. Fique de olho nas tabelas de safra, lembrando que o produto que está na época tem melhor qualidade.


8) Verduras verde-escuras

Meio pires de verduras picadinhas no almoço e também no jantar é a medida ideal. Primeiro, tente oferecê-las cruas. Caso a criança não aceite, refogue ligeiramente e amasse com um garfo. Essas verduras são ricas em vitaminas A e C, potássio e ácido fólico – outro bom aliado contra anemias.

Melhor escolha: espinafre, brócolis, couve, agrião e rúcula. Prefira as folhas de cores fortes e aparência viçosa. Dispense verduras amareladas, murchas e queimadas.


9) Hortaliças cruas

Basta meio pires no almoço e também no jantar. Para servir, pique miudinho ou rale. Elas são fontes de vitaminas variadas e de fibras.

Selecione hortaliças sem folhas queimadas, com cascas íntegras e não muito maduras.


10) Gorduras

Devem ser consumidas em pequenas quantidades – até uma colher de sopa ao dia. Fornecem energia para o crescimento e participam da formação hormonal. Em excesso, porém podem levar à obesidade. Os peixes possuem a chamada “gordura do bem” e são super saudáveis.

Para cozinhar sugerimos usar o óleo vegetal (soja, canola, etc).

***
Autoria: Priscila Maximino ♦ Fonte: Site Mayra Abucham ♦ Imagem: Bold Butter Baby

, , ,

sexta-feira, 18 de abril de 2014


Print or Generate PDF

0 comentários:

Postar um comentário

Comentário









Certidão Criminal Negativa
Dicionário Bab.La