quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Livro 'Educação e Movimentos Sociais na Pesca Artesanal' terá lançamento no MAUC na próxima quinta


Em dezembro de 2014, a Editora da UFC publicou o livro 'Educação e Movimentos Sociais na Pesca Artesanal'. É o resultado do trabalho intenso do Engenheiro de Pesca José Wilson Galdino.


Sobre o Livro

São apresentadas ao leitor várias reflexões a respeito das vivências comunitárias - principalmente dos pescadores artesanais - que ocorrem na Prainha do Canto Verde (Beberibe-CE), notadamente aquelas inerentes ao processo de conquista/luta pela posse de suas terras. Nesse sentido, é proposto ao leitor "ouvir", mediante os discursos e testemunhos proferidos pelos diversos protagonistas da comunidade pesqueira estudada, os questionamentos, as razões e os porquês das lutas e conquistas deles. As falas caracterizam a participação e o envolvimento dessa comunidade, cujos integrantes são arrimados em seu afã pela posse da terra, via movimento social local, em um processo educativo que qualificou as lideranças para o enfrentamento de todos os obstáculos dessa causa.

A leitura desse livro poderá suscitar o desejo de reflexões e, com isso, possibilitar que o leitor, de todas as categorias pertinentes ao tema, possa contribuir para a formação de um pescador artesanal reflexivo, consciente de sua função no âmbito de sua sociedade. Para entrar em contato com o autor, é divulgado o e-mail: galdinoufc@gmail.com.


Sobre o Autor

José Wilson Galdino, natural de Fortaleza (CE), é graduado (1977) e licenciado (1998) em Engenharia de Pesca pela Universidade Federal do Ceará (UFC); Especialista em Tecnologia do Pescado, pela FAO/SUDEPE/UFRPE (1979); em Métodos Quantitativos em Planejamento, pelo CETREDE/UFC (1982); Mestre em Economia Rural, pela UFC (1995) e Doutor em Educação pela UFC (2010). Foi Professor Substituto e Colaborador de ensino da disciplina de Extensão Pesqueira, no Departamento de Economia Agrícola da UFC, no período de fev./96 a dez./1998. Esteve como Coordenador de Capacitação e Mobilização da Incubadora de Cooperativas Populares de Autogestão da UFC, de maio/2000 a julho/2004; Primeiro Coordenador de Extensão, da Pró-Reitoria de Pesquisa Pós-Graduação e Extensão da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB); Atualmente ocupa a função de Técnico Extensionista e Coordenador de Projetos Especiais da Pró-Reitoria de Extensão da UFC; Professor Dr. I da Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC/CE).

Ele já colaborou com esse blog com a postagem 'Investimento PGBL, uma forma de poupar visando o abatimento no IR'.


Lançamento

Dia: 12 de março de 2015 (próxima quinta-feira)
Hora: 17 horas
Local: Museu de Arte da UFC
Av. da Universidade, 2854 - Benfica
Informações: 8723-5090 ♦ 9932-3607


Mais sobre a Obra

As comunidades tradicionais pesqueiras do litoral cearense são promotoras de movimentos sociais, característicos da pesca artesanal, constituídos com base em determinados problemas sociais (pesca predatória, habitação, saúde, educação etc.) enfrentados em seu coletivo, que normalmente só são superados nas lutas desses movimentos, produzindo uma pedagogia inerente a essa ação. Essa realidade ensejou a publicação deste livro, que se propôs estudar o papel do movimento social da Prainha do Canto Verde no processo educativo de comunidades tradicionais de pescadores artesanais litorâneos, com o propósito de contribuir com os sujeitos sociais e institucionais que atuam nessa atividade para a elaboração de políticas públicas que efetivamente permitam o exercício dos direitos sociais dessas populações.

Para tanto, procurou-se seguir os passos instrumentais da pesquisa qualitativa, fundamentada em um estudo de caso descritivo, qualitativo-explicativo, com concepções etnográficas e da pesquisa-ação. Também se utilizou o enfoque fenomenológico bem como se recorreu à ajuda da observação participante e ao emprego de elementos da metodologia crítico-dialética, para ajudar no encontro das interconexões e contradições que formam o tecido social local e, da ferramenta “diário de campo”.

A análise dos dados evidenciou que o caráter educativo existente no movimento social da Prainha possui como pedra fundamental a mobilização e a organização comunitária, tendo como base a pedagogia libertadora de Paulo Freire, incorporada na prática utilizada pelos fundadores do movimento, que levou em conta a natureza política da educação por meio de uma autêntica relação dialógica. Esse processo é responsável pelo elevado grau de conscientização, formação política e cidadania a que chegaram os principais sujeitos deste livro. O resultado do trabalho é a solidez do movimento social da Prainha, de sua mobilização e, por consequência, da organização da comunidade, traço evidente de sua identidade e fatores relevantes no papel social desse movimento, que se mostra como referência para as demais comunidades tradicionais pesqueiras litorâneas. Da mesma forma, as ações coletivas do grupo de pescadores dessa comunidade passaram a repercutir em todo o litoral do cearense, estabelecendo uma articulação, fortalecendo um movimento na contextura municipal-estadual que se amplia na união com o MONAPE. Este livro também identifica e apresenta ao universo acadêmico duas contribuições para a discussão da teoria sobre os movimentos sociais em comunidades tradicionais, bem como, algumas recomendações e sugestões aos comunitários da Prainha e aos elaboradores de políticas públicas.

, ,

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015


Print or Generate PDF

0 comentários:

Postar um comentário

Comentário









Certidão Criminal Negativa
Dicionário Bab.La